domingo, 1 de junho de 2014

Privilégios


Privilégio é uma coisa que muitas pessoas nem se dão conta que tem, e é claro que também varia de acordo com a situação particular que cada pessoa vive. A análise que eu vou fazer sobre privilégios tem a ver com a minha vivência pessoal e pode não se aplicar do mesmo jeito para outras pessoas. Não sei se consegui abranger todos os pontos, se alguém tiver alguma coisa a acrescentar, fique à vontade.


 1. Sou branca. E ainda tenho os cabelos loiros e olhos claros. Esse é o padrão mais valorizado na nossa cultura (infelizmente). A única coisa que posso fazer é reconhecer o privilégio que isso me dá. Nunca me olharam com desconfiança ao entrar em uma loja, ou banco ou prédio.

 2. Sou hétero. Nunca precisei me preocupar com ser ou não aceita pela família e pela sociedade por minha orientação sexual.

 3. Sou cis. Isso significa que estou confortável e me identifico com o corpo com que nasci. Nunca quis ser diferente, e nunca fui cobrada pela família e pela sociedade por isso.

 4. Sou mulher. Na minha profissão, ser mulher é vantagem. Digo isso porque eu ia começar dizendo que praticamente a única desvantagem que tenho é ser mulher, mas até isso tem seus prós e contras. Mulheres tendem a ser mais bem vistas na função de ensinar atualmente (antigamente os professores eram todos homens). Dou aulas particulares, o que implica em ir até os alunos, seja em empresas, seja em suas casas. O fato de eu ser mulher (e branca, hétero, cis, casada) se torna uma vantagem nessas circunstâncias.

 5. Sou mais velha.  É considerado que a idade me torna mais experiente, coisa que nem sempre é verdade, só se a pessoa se dispõe a se atualizar sempre.
  
 6. Sou casada e tenho filhos. Na nossa cultura considera-se que eu 'cumpri' com o que se esperava de mim. Ninguém me olha como se eu fosse 'anormal' ou uma 'fracassada' neste aspecto.

 7. Tive a oportunidade de estudar. Minha família teve condições de me dar isso, assim como também fui estimulada a ler desde cedo. 

 8. Sou estrangeira (europeia). O brasileiro tende a achar que estrangeiros de países de primeiro mundo tem algo de 'melhor' que eles próprios ou estrangeiros de países mais pobres. (Esse é um estereótipo, e nem sempre é verdadeiro. Existe gente canalha e grossa em qualquer lugar.)

 9.  Sou profissional autônoma. Trabalho de forma independente e não tenho chefe! 

10. Tenho um corpo médio. Não sou nem magra nem gorda, por isso não chamo atenção especial. E sou baixinha, o que também acaba sendo uma vantagem, porque a minha aparência não intimida ninguém. 

11. Sou classe média. Nunca precisei me preocupar com o básico da sobrevivência, sempre pude ter uma vida razoavelmente confortável. 


*************************

3 comentários:

  1. Uma auto avaliação é fundamental, no entanto o discurso acusatório do você tem privilégios esta errado. Ele mais atrapalha do que ajuda, como combater o preconceito acusando outros de gozarem de uma vantagem estética-social, começar o discurso assim afasta e polariza. Creio que seja mais produtivo focar na discriminação sofrida do que acusar aqueles que teoricamente não sofrem discriminação de terem uma vida demasiadamente boa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa postagem foi uma autoanálise em que eu apenas reconheço os privilégios que EU tenho. Não estou acusando ninguém.

      Excluir
    2. foi exatamente como entendi

      em nada nesse texto remete à acusação
      muito pelo contrário

      que não se encaixa nesses 12 ítens acaba sendo discriminado

      Excluir