terça-feira, 13 de maio de 2014

Ódio online [Editorial da Zero Hora]


"As redes sociais multiplicaram vertiginosamente a comunicação entre pessoas e facilitaram o acesso a informações, mas também se transformaram em vitrines de maus instintos. Há muita bravata, é verdade, pois as pessoas sentem-se encorajadas a manifestar na rede posições que normalmente não assumiriam em público. Mas há, também, preocupantes incitações ao ódio, notadamente por parte de grupos neonazistas, misóginos ou que apregoam o justiçamento. Essa visão autoritária não chega a ser uma novidade digital. Sempre existiu. Só que agora o risco de contágio é maior, porque as mensagens se propagam rapidamente e atingem pessoas sem preparo psicológico e intelectual para repeli-las."

Leia o artigo completo AQUI


2 comentários:

  1. Interessante que a Safernet não menciona nada sobre páginas com conteúdo de ódio por mulheres, o que é infelizmente muito comum.

    ResponderExcluir
  2. Ódio por mulheres por SEREM mulheres... realmente é coisa de palerma do mais baixo nível. Assinado: homem heterossexual que gosta muito de mulheres por todos os motivos.

    ResponderExcluir