sábado, 28 de dezembro de 2013

Ghiraldelli e Sheherazade

Bem, muito já foi dito a respeito e um bom resumo de tudo pode ser encontrado aqui, neste artigo da Veja:

O curioso caso de Ghiraldelli contra Sheherazade

O que achei curioso foi que de repente começaram a cobrar que feministas e grupos feministas se pronunciassem a respeito do assunto. A isso eu respondi no Facebook da seguinte forma:
- Não acho que feministas precisem opinar a respeito do assunto. Foi algo meio pessoal entre os dois, e é o 'óbvio ululante' que alguém dizer que deseja que uma mulher seja estuprada é errado em qualquer circunstância.
Comparando, se alguém dissesse que um certo jogador merecia ter seus dentes quebrados por jogar muito mal, será que algum movimento pelos direitos dos negros tem obrigação de falar alguma coisa só porque o jogador em questão é negro?

- MUITA gente já se pronunciou a respeito. O que ele disse é tão obviamente escroto que qualquer pessoas normal repudia.

- Na verdade o que o Ghiraldelli fez foi apenas confirmar a 'cultura do estupro' - quando se discorda de uma mulher é esse tipo de ataque que se faz a ela. Isso é tipo 'feijão-com-arroz' para mulheres em geral.
Eu mesma há poucos dias recebi um hatemail que falava exatamente isso, que seria até muito bom se eu fosse estuprada.

Mas se é tão importante assim que uma feminista se pronuncie, eu faço isso então, já que sou feminista. Lá vai:


Por mais que eu discorde de praticamente TUDO que a Rachel Sheherazade diz, e não goste dela, é absolutamente INACEITÁVEL uma declaração como a de Ghiraldelli, de que 'deseja que ela seja estuprada'. 

Repito, INACEITÁVEL!

Ameaças de estupro, insinuações que uma mulher 'merece' ser estuprada (como mencionei acima) é comum e recorrente e me arrisco a dizer que já aconteceu com TODAS as mulheres que se destacam de alguma forma que desagrade a algum grupo masculino.

Se for para discordar da Sheherazade, que seja com argumentos embasados, não com xingamentos vulgares e com declarações tão nojentas como a desse Ghiraldelli. 




8 comentários:

  1. eu posso muito bem discordar de uma pessoa, sem querer que ela sofra mal algum. começo á pensar que sou bom por pensar dessa forma, ao invés de pensar que não faço mais do que a minha obrigação. é complicado

    ResponderExcluir
  2. Eu já tive o desprazer de discordar desse senhor num debate sobre o episódio do Datena. Ele me mandou tanto palavraõ e imprecações para mim e minha família in box que se bobear até caberia processo.
    É um lunático, só pode.

    ResponderExcluir
  3. Também já sofri ataques desse sujeito, em seu grupo de Filosofia no facebook.
    Tenho os prints das ofensas que ele fez a minha pessoa por discordar de uma publicação em que um sujeito estava sendo extremamente machista.
    Me chamou de tanto nome que comecei a pensar que ele fosse um cristão.

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente esse é o Olavo de Carvalho da esquerda,mas pelo menos tem diploma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas, como dizia o Barão de Itararé, "Diploma não encurta a orelha de ninguém."

      Excluir
  5. Esse cara já me chamou de burro e imbecil num debate.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Äsa! Tudo bem?

    Claro que é inaceitável! Concordo com você... Qual tipo de problema se resolve com estupro ou dentes quebrados? Nenhum!

    Então botemos nossas cacholas para funcionar e sejamos felizes :D

    ResponderExcluir
  7. Bem, não tenho a menor simpatia pelas opiniões de Rachel Sheherazade, que para mim representa o suprassumo do atraso ideológico nacional. Mas acho que ela, como mulher igual a mim, a Asa Hauser e a metade da população brasileira, merece apoio de feministas e de entidades de defesa dos direitos humanos, pois o tratamento que Ghiraldelli deu a ela é absolutamente inaceitável. Essa manifestação de Asa aqui no post me parece pífia, sem vontade de defender uma representante do gênero feminino que, por acaso, é a Sheherazade.

    ResponderExcluir