sábado, 9 de fevereiro de 2013

O discurso de ódio


Nessa polêmica toda sobre a entrevista do Silas Malafaia pela Marília Gabriela e o video do Eli Vieira falou-se inclusive que não devia ser relevante se a homossexualidade tem ou não alguma contribuição da genética. O próprio Eli concordou com isso e fez uma declaração posteriormente dizendo isso, e mesmo durante o video ele fez questão de dizer que a sexualidade humana é complexa e não existe determinismo genético.

De fato eu mesma penso que, mesmo que a homossexualidade fosse um escolha consciente, ela não deveria ser considerada um problema. Porque seria? As pessoas também optam por práticas como o BDSM, voyeurismo, etc, e a maioria das pessoas não acha que essas pessoas devem ser condenadas e/ou discriminadas.

Então, deveria ser irrelevante. 

Deveria.

Mas porque não é irrelevante? Porque foi tão importante desmentir as alegações de que a homossexualidade é 'apenas' um comportamento, sem nenhuma origem genética ou biológica?

É importantíssimo porque essa alegação é parte integrante do discurso de ódio do pregador.

Esse discurso veio muito bem camuflado, mas está lá. No final da entrevista com Marília Gabriela ele diz, "O Diabo quer destruir a família." No final da entrevista ele disse a que veio. Vamos ver qual é a 'lógica' por trás disso:



- A homossexualidade não tem origem interna, natural.

- Portanto ela não tem respaldo para existir com algo que é inerente à pessoa. 

- Segue-se que a 'causa' da homossexualidade deve ser externa. 

- Esse suposto fator externo seria um abuso na infância, ou uma 'escolha' consciente.


Até aqui não seria problema, e a discussão poderia muito bem se encerrar neste ponto. O problema surge aqui:

- O fator externo da 'causa' da homossexualidade pode ser encontrado no mundo sobrenatural.

- A homossexualidade é condenável porque é um fator que contribui para a 'destruição' da família.

- Os homossexuais são na verdade induzidos a ser assim por uma 'tentação demoníaca' .

- Os homossexuais por consequência são 'instrumentos' do Diabo para destruir a família (e o mundo).


Percebe-se que a sequência do 'raciocínio' coloca os homossexuais em uma categoria altamente demonizada. Na mente daquelas pessoa que acreditam em tudo que esse pregador diz, os homossexuais são pessoas que devem ser temidas, e assim eles são tomados de medo e pavor diante de qualquer pessoa que saibam que é homossexual. Isso é muito perigoso.

O medo leva a um comportamento extremamente irracional, e ao ódio. No momento em que se consegue induzir um grupo grande de pessoas a odiar veementemente uma categoria, temos uma situação em que a violência eclode com muita facilidade. Isso porque sempre haverá alguma mente desquilibrada que acredita piamente que é justificado reagir de forma violenta para se 'defender'. O problema é que está se defendendo de um problema totalmente imaginário.


Desmontar os argumentos contidos no discurso de ódio do pregador, seja em que nível for, é essencial para expor esse discurso pelo que é, um simples discurso de ódio.


****************************************************

13 comentários:

  1. Concordo com tudo. Acredito que a homossexualidade é inata e natural, mas isso não faz a menor diferença pois temos que lutar pra sermos respeitados como seres-humanos antes de tudo.

    ResponderExcluir
  2. Bah concordo plenamente, tem que sempre haver oposição, em todas as instâncias, e por pessoas diferentes.

    ResponderExcluir
  3. Concordo! É de fundamental importância desmistificar assuntos como a homossexualidade e impedir que os "oradores do ódio" ceguem a população com menos poder de discernimento.

    É evidente, também, que o referido pastor está se aproveitando do sofrimento de fiéis para convencê-los de sua opinião torpe - algo que ele mesmo alega na entrevista, quando diz que os fiéis que sofrem com parentes doentes/viciados dariam tudo para os curar. E eles dão: dinheiro que não tem e esperanças no que não deveriam.

    Fiz um análise do ponto de vista da lógica e oratória de Malafaia em meu blog e, inclusive, rebati algumas de suas falta de argumentos. Foi uma forma de contribuir na luta contra esse tipo de aproveitador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li o seu texto "falsa oratória" e gostei muito. Acabo de divulgá-lo no Facebook.
      Abraço

      Excluir
    2. poxa, muito obrigada! fico feliz pelo apoio! respondi seu comentário lá no blog!

      Excluir
  4. Texto inteligente. Concordo com vc.

    ResponderExcluir
  5. Em principio a gente pensa em ignorar, e tocar a vida, mas você está certa, é preciso combater esse discurso de ódio, de todas as formas possíveis, porque ele fomenta a violência. Não se trata de liberdade de expressão, nem do direito de ser imbecil, se trata de incitação ao crime. E isso precisa ser contido.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom Asa. Todo o discurso do Malafaia tem uma origem clara que é a sua fé e é preciso deixar isso evidente. Seu faz isso com maestria. É uma piada achar que o Malafaia possui algum tipo de interesse cientifico neste assunto. Sua intenção é promover um consepção monogamica e heterossexual de familia independente da predisposição genética de um indivíduo ou mesmo que dos fatores ambientais que determinaram sua orientação.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito do texto, com o qual concordo totalmente, porém o que deve se ter em mente também é que quando o Sr. Silas ou qualquer outra pessoa que concorde com ele afirmam que se trata de comportamento, isso implica que pode ser reorientado e, portanto, é passível de tratamento psicológico. Para respeitar um indivíduo homossexual, sua identidade e orientação, concordo não se fazer necessário entender a origem da homossexualidade, se genética, comportamental ou oriunda de um ambiente "propício". Faz-se necessário entendê-la, porém, para que se evite um retrocesso, como se pode ver no projeto da "cura gay".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi muito o seu 'porém', porque achei que tinha deixado claro que o esclarecimento era importante apesar da resslava inicia que fiz. E a questão da 'cura gay', na qual Silas certamente NÃO ACREDITA, é apenas parte da cortina de fumaça que eu abordei na outra postagem.

      Excluir
    2. Sim, vc deixou claro. Acho que não me expressei muito bem. Na verdade meu "porém" foi mal colocado, o que eu quis foi acrescentar um outro motivo para o fato de ser tão importante esclarecer este mito de ser comportamental: rebater o absurdo da "cura gay", que com certeza só faz parte de algo maior e pior mesmo. Mas concordo com vc que embora ele hipocritamente apoie também não acredite.

      Excluir
    3. Na verdade você tem razão em ter acrescentado esse ponto. Não o incluí por considerar óbvio que a 'cura gay' fazia parte do esquema todo, mas que o objetivo principal mesmo é demonizar a homossexualidade como um todo.
      Valeu!

      Excluir