terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O "crimepensar" orwelliano

******************************************************
Comentário que me vejo obrigada a fazer a posteriori:

Eu NÃO disse em nenhum momento que "pedofilia é normal".

O que eu disse foi que tudo aquilo que fica restrito à nossa mente e nunca é posto em ação não constitui crime.


E eu definitivamente não escrevi isso com uma "defesa" a ninguém. Principalmente porque a pessoa em questão NÃO é portadora de tal parafilia.
 
*******************************************************

A imaginação humana é prodigiosa. Conseguimos imaginar coisas que não existem, coisas impossíveis de existir, como cavalos alados, por exemplo, ou bruxas que voam em vassouras. Conseguimos nos imaginar fazendo coisas que jamais faíamos na vida real, ou por ser fisicamente impossível, ou porque percebemos que a idéia posta em prática teria maus resultados.

Eu seria inacapaz de levantar um peso de 100 kg, da mesma forma que seria incapaz de matar uma pessoa. Isso não significa que eu não consigo criar uma imagem muito vívida na minha mente sobre essas idéias.

 Existe uma idéia estapafúrdia alimentada por certas pessoas de que só o fato de pensar certas coisas já constui um crime, ou pelo menos um "pecado". Mas perante a lei, e na prática da vida diária, só contam aquelas coisas que de fato fazemos.

Se um homem se imagina traindo a sua mulher, mas nunca coloca isso em prática, podemos dizer que ele fez algo de errado?

Se uma pessoa se imagina matando alguém que odeia, mas por entender que o seu desejo instintivo irá causar grande sofrimento nunca passar à ação, ainda assim deveria ser considerado crime?

Se um homem se sentir excitado ao se imaginar cometendo estupros, mas por uma questão de empatia jamais for capaz de agir com base na sua imaginação, ele é um estuprador?

Se uma pessoa sentir atração por crianças mas nunca for capaz de se envolver com uma pelo mesmo motivo acima, ainda assim ele deve ser considerado um abusador?

Não consigo conceber como poderia constituir crime ou mesmo causar repugnância algo que está restrito à nossa mente.

********************************************************



6 comentários:

  1. Crime por intenção so existe na cabeça de pessoas doentes ou manipuladas por "verdades"absolutas , todo ser humano é constituido de sonhos ,desilusões e imaginação ,sejam eles,positivos ou negativos no sentido do bem estar dos outros ainda assim são do dominio mental e pessoal,so começam a ter efeito quando passam a ação!!

    ResponderExcluir
  2. Os que se permitem pensar estas coisas - matar, pedofilar, estuprar, etcetar....... - são os mais livres de cometer tais atos! permitem-se sentir e extravasar estes desejos pela mente...... pela fantasia ou que nome tenha. tenho pra mim que o criminoso é um GRANDESÍSSIMO moralista que reprime totalmente qqr pensamento 'impróprio'.... e acaba por cometer o ato.

    ResponderExcluir
  3. Tá ficando estranho todo esse empenho em defender uma pessoa que a Senhora jura não ter laços além dos virtuais.
    Dizer que uma pessoa que, pelo que é de conhecimento publico tinha diversas fotos de crianças e foi condenado por isso é tão "inocente" quanto a pessoa que pensa em levar 100kg, ou dar uma surra em quem merece ou até mesmo matar..acho que isso já é apelativo, ai já esta caracterizando uma defesa incondicional, é melhor que a senhora D.Onça então assuma uma postura diferente: Diga de uma vez que a Senhora simpatiza com o acusado e que não lhe importa o que ele fez ou deixa de fazer e assuma a responsabilidade por isso sem reclamar.Tem coragem para falar, tenha peito para aguentar!
    Fazer isso é menos ridiculo do que tentar fazer parecer "normal" o "fetiche" dele embora eu vejo isso como doença,bem diferente de quem pensa em levantar 100kg ou dar uma surra em quem merece.

    Mas fica a pergunta : Já que a Senhora o defende quase que incondicionalmente, teria coragem de deixar algum de seus netos aos cuidados, ou sozinhos com ele?
    Pois eu acredito que gente doente como ele só espera a oportunidade certa, é só uma questão de tempo....

    ResponderExcluir
  4. Não defendo ninguém "incondicionalmente". Como eu já disse, não acredito na versão dos "65 mil" arquivos, e acredito nele quando diz que baixou arquivos compactados (cujo conteúdo não conseguiu ver imediatamente) para tentar descobrir um verdadeiro abusador.
    É pura distorção dizer que eu apoio um ato criminoso, quando o que estou dizendo é exatamente o contrário. SE eu tivesse certeza de que a pessoa em questão cometeu um crime, não estaria manifestando apoio, ao contrário de um certo blogueiro que manifestou apoio a um sujeito considerado assassino pela Justiça, e chegou a dizer que "mesmo que o sujeito fosse culpado, esperava que escapasse". Engraçado que neste caso esse certo blogueiro acha que a Justiça errou. Interessante.

    ResponderExcluir
  5. Vou pedir a quem ler isto e conhecer alguma criança ou tiver uma filha menor de idade, e mesmo que maior de idade...
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    Não se imagine fazendo sexo com ela!

    Oh, tarde demais. Você está preso por crime de pensamento. Sua condenação por incesto ou molestação de criança vai sair em poucos minutos. Já estamos providenciando para que as pessoas tenham ciência de que você é uma pessoa extremamente perigosa e tão perigosa que terá que ficar trancafiada numa instituição de regeneração pelo resto da vida(claro que se se regenerar continuará do mesmo jeito, porque talvez se torne ainda melhor). E faremos tudo o que estiver em nosso poder para fazê-lo se sentir culpado, envergonhado, embarassado, infeliz e constrangido, além de aplicar-lhes castigos físicos como torturas, sevícias, queimaduras e mutilações que, embora não vá trazer nenhum benefício à sociedade, não vá reabilitar emocionalmente a sua vítima(no seu caso a sua filha ou a criança que você estuprou em sua imaginação sem que a pessoa real sentisse qualquer efeito), vai pelo menos tornar nossos agentes de segurança mais sádicos, mais psicóticos, mais cruéis, mais mentalmente instáveis, aumentando assim a probabilidade de que ELES TAMBÉM acabarão cometendo crimes pelos quais serão reabilitados com penas perpétuas combinadas com torturas e mutilações concluindo o ciclo vicioso que tornará nosso mundo um lugar mais seguro e mais feliz.

    Espero que um Roberto Cavalcanti não tenha lido a parte lá de cima porque:

    "Arthur: Okay, este sou eu plantando uma idéia na sua mente. Eu digo: não pense em elefantes. No que você está pensando?
    Saito: Elefantes?"
    "Arthur: Exactly!
    [Inception (2010) dirigido por Christopher Nolan]

    Porque aí já será tarde demais para ele.

    ResponderExcluir
  6. Se fosse por isso, o Japão seria uma nação de pedófilos. Material contendo arte e leitura relacionado a sexualidade de menores e vendido legalmente, embora a pressão externa(cristã/moralista) exista para banir esse material. Mas o que dizer desse assunto de uma nação com o povo educado, culto, com alto indice de IDH e baixas taxas de criminalidade?

    ResponderExcluir