domingo, 29 de maio de 2011

Artigo na Zero Hora de hoje

29 de maio de 2011 | N° 16714

TEMA PARA DEBATE

Liberdade de crença: um passo atrás?, por Claudio Moreira*

 [...]Hoje, em pleno século 21, um novo perigo ronda a liberdade de crença num país que ama ostentar ao mundo sua tolerância religiosa. Na busca legítima por punições contra atos de violência de que são vítimas, grupos de homossexuais erram o alvo, e ao invés de propor uma legislação mais dura contra a ação de bandos que os agridem nas ruas de São Paulo e Rio – como skinheads e outras facções de corte ideológico fascista – voltam suas baterias contra as igrejas cristãs em geral, e as evangélicas em particular. Sob o cândido apelido de “Lei da Homofobia”, o projeto de lei 122/2006 propõe, entre outras coisas, punir com x anos de cadeia quem praticar “violência filosófica” contra um homossexual. Na prática, a simples citação do trecho bíblico de Romanos que define a prática homossexual como pecado deixaria de poder ser mencionada, transformando parte da Bíblia Sagrada, que para os cristãos é a Palavra Viva, em “letra morta”.[...]


Transcrevi apenas a parte que realmente importa. A minha resposta:

"Não, não interfere na liberdade de crença, mas interfere e deve interferir no direito das pessoas incitarem o preconceito e o ódio contra certos grupos. As igrejas querem ter o direito de continuar falando que "homossexualidade é uma abominação", "coisa do demônio", esse tipo de coisa, o que configura calúnia e difamação contra homossexuais. O preconceito religioso contra homossexuais é causa de graves conflitos familiares e grande infelicidade no momento em que colocam os pais na situação em que, ou tentam "curar" o filho ou filha homossexual, ou então a repudiá-lo/la, quando sabemos muito bem que a homossexualidade não é reversível nem curável.
O fato de "estar na Bíblia" não pode servir de desculpa, porque se assim fosse, ainda hoje as mulheres seriam proibidas de ser professoras ("às mulheres não é permitido ensinar e devem ficar caladas nas igrejas" segundo o apóstolo Paulo). Alguma igreja hoje tem a prerrogativa de incitar os seus membros a rejeitar as mulheres que são professoras? "


**************************************************

Não escrevi mais porque o número de caracteres é limitado. Eu acho mesmo que certas passagens bíblicas deviam deixar de ser mencionadas. Além do exemplo que dei acima, temos muitos outros que já não são levados em consideração porque a sociedade civil avançou e os direitos humanos estão abrangendo cada vez mais pessoas.

E o que dizer da questão da "tolerância religosa"? Em nome da tolerância querem poder continuar sendo intolerantes, numa flagrante contradição!

***************************************************

Um adendo: Isso me lembra de quando um sobrinho meu com três anos reclamou "O fulano (meu filho de cinco anos) disse que não vai mais deixar eu bater nele!"


***************************************************

sábado, 28 de maio de 2011

Sociedade da Terra Redonda

No meu video As mulheres no ateismo eu disse, e mostrei, que sou realmente uma atéia "de carteirinha".  E aqui está a imagem que comprova isso.

A STR foi fundada no dia 4 de maio de 1999, pouco mais de 12 anos atrás, ainda no século passado. Eu descobri o site no início de 2000, e foi praticamente a minha primeira referência ateísta na época. Ainda morava no interior e não tinha quase acesso a esse tipo de informação; a  internet se tornou uma "janela para o mundo", e tornou possível que pessoas de todo o mundo se encontrassem e compartilhassem as suas experiências e pensamentos.

Há exatos 11 anos, em 28 de maio de 2000, eu me tornei oficialmente Editora de Inglês da STR. Traduzi vários textos, tanto do inglês para português, como vice versa, e foi uma época de muitas descobertas para mim. Eu lia os textos do site com grande prazer e também trocava idéias com os outros editores, vários dos quais moravam em Porto Alegre.

Tivemos a oportunidade de nos conhecer pessoalmente em novembro daquele ano, quando fui a Porto Alegre passar alguns dias. Dos que estavem presentes naquele dia eu lembro do Luis Brudna, Sandro Remboldt, Daniel Cunha, Juan Cisneros, além de mim e a minha filha. Se eu esqueci de alguém, peço que me perdoe, sou péssima com nomes e já faz mais de dez anos.

Eu devo muito à STR e ao Leo Vines que fundou o grupo e o site. Aprendi muito ali, e ainda tenho contato com várias pessoas que participaram dela.

Como a STR nunca encerrou oficialmente, a minha carteirinha ainda está valendo. =D

******************************************

quinta-feira, 26 de maio de 2011

"Tornar-se ateu exige reflexão", afirma autor de "Ímpio"

 Saiu um novo livro sobre ateismo que parece bem interessante. Não li ainda, mas pretendo ler assim que tiver oportunidade.

O autor, Fábio Marton, deu uma entrevista à Folha.com

"Ímpio", do jornalista (e ateu) Fábio Marton é a história de uma vida religiosa, de sua peregrinação pelo evangelho e a libertação final (no caso, expulsou outros tipos de "incômodos").
Acostumado a grandes reportagens, o autor narra de forma envolvente e bem-humorada seus traumas e ousadias, das questões familiares até o pensamento cético que, de certa forma o tranquilizou, ao mesmo tempo que gerou maus olhados por parte de outros.
"A última notícia é que um tio meu por lado de mãe, a parte católica da família, estava lendo, não me disseram o que achou", revela.
Narrado em primeira pessoa, a obra ainda traz curiosos "recortes" em páginas negras, que remetem pensamentos antigos e constatações cientificas sobre a evolução do homem.
Para o autor, não existe ateu que não tenha buscado conhecimento no campo da ciência ou filosofia. "Existem muitos religiosos afastados ou não-praticantes, mas tornar-se ateu exige reflexão. Os ateus não são todos eloquentes para explicar o que pensam, mas todos tiveram de pensar para chegar lá", destaca.
Em entrevista à Livraria da Folha, Marton fala a razão de ter escrito o livro, de que se incomoda com o fanatismo religioso (o termo "ímpio" se refere justamente a isso, a não se dignar --e mesmo desprezar-- fanatismos religiosos), e ainda analisa o papel da religião na família e na formação de cada indivíduo.
Confira.

http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/921137-tornar-se-ateu-exige-reflexao-afirma-autor-de-impio.shtml

terça-feira, 10 de maio de 2011

Enquanto isso, no Youtube...

Gente, não fazem idéia do que aparece de argumento estranho nos meus vários canais. Nos últimos dias (começou em 5/5) tem uma pessoa em especial tentando me convencer de que ateu tem que ser niilista, que está provado cientificamente que o ateismo leva ao niilismo (sic!). Confesso que não tive paciência para debater realmente, depois de ver certos argumentos pela enésima vez. Vou reproduzir o diálogo que tivemos (minhas respostas estão em azul):


Deus é, mas a criação existe. E existe maior do que qualquer indivíduo existente. Portanto, aquele que olha para o Existente Criado (Cosmos) e nada vê e nada sente, é como aquele que fica diante de você e convoca uma conferência para decidir se você existe ou não.
como deveria ser a vida de um ateu engajado e crente (vida curta, porém sincera!):
Um ateu não deve chorar jamais, amar jamais, beijar com sinceridade jamais; se preocupar com justiça, verdade, carinho, amizade, amor, e ódio, jamais; e jamais deveria ter ciúmes, e nem se enciumar de nada; menos ainda se importar com a vida e a morte; e, sob hipótese alguma deveria ter dor de consciência; e jamais sentir-se devendo nada aos céus, à terra e menos ainda aos homens; e sem

e sem esquecer-se de que tanto faz qualquer coisa, pois, se não há Deus, não há sentido, não há razão, não há por quê; pois, se não há Deus, o que quer que pela força ou pela inteligência ou mesmo pela maldade se fizer impor (caso assim alguém deseje e consiga) — em nada está sendo melhor ou pior do que qualquer coisa ou qualquer um.  
Sem Deus, com tudo e com nada; e sem sentido para tudo ou nada; mas, havendo sinceridade, pelo menos levando até as ultimas conseqüências as implicações de uma existência sem Deus — dever-se-ia abraçar gelo na alma, sem alma, sem direito a emoção, sem permissão para dançar, sem licença para amar, sem nada a celebrar ou a chorar; sem chegadas e sem despedidas; sem berços e sem túmulos; sem nada além de nada; e, em caso de honestidade maior, abraçando o suicídio como devoção.


Apresente-me esse ateu (ainda que morto), e o saudarei com respeito. Até mesmo Friedrich Nietzsche não levou seu ateísmo até às últimas conseqüências, posto serviu-se todas as possibilidades que somente num mundo com Deus se poderia ter.

 - Na verdade deu para perceber só uma coisa de tudo que você disse: que você não sabe NADA sobre o que é ser ateu. 

ao se deparar com a realidade do que acredita a única saída do ateu é abraçar o existencialismo, não há nenhum outro berço onde ele possa deitar-se.

 - Depois de perceber que você confunde niilismo com existencialismo, naõ vejo necessidade de comentar mais nada; você claramente não sabe do que está falando.

queria ficar no ambito das ideias mas vc é uma mente blilhante eu simplismente não sei como não descobriu que Deus é maior do que qualquer indivíduo existente. Portanto,vc é como aquele que olha para o Existente Criado (Cosmos) e nada vê e nada sente, é como aquele que mesmo diante de você e convoca uma conferência para decidir se você existe ou não. 

 - Se esse  'deus' é algo assim tão grandioso, porque ele não consegue se tornar autoevidente? E quem disse que eu olho para o Cosmo e nada sinto? Quanto mais você fala, mais ridículo fica. Já disse, você não sabe NADA sobre nós ateus. ESTUDE!

é bom dar uma olhada pode ser no wikipédia mesmo não precisa ser na sua biblioteca particular não que o Niilismo pós-Nietzsche ganhou novas significações e derivações, tal como o niilismo-existencialista de Sartre e o niilismo-gnóstico/niilismo-abs­urdista de Albert Camus. 

A diferença entre você e eu. é que eu não sigo autoridades, vivo a minha vida exatamente como eu gosto, dando importância às pessoas ao meu redor, amando profundamente o meu marido e filhos. Nem você nem ninguém vai me dizer como EU devo viver a minha vida!
Estude a origem biológica e genética da empatia e da colaboração com o grupo. 

 Não me importa se vc é anarquista ateia e amante da vida o final disso tudo será enfim vaidade, nenhum significado, nenhum valor e sem propósito fundamentais apenas um propósito subjetivo criado por vc para dar significado a sua vida. Esse fim poderia ser diferente.

volto a repetir a natureza não é cruel, apenas implacavelmente indiferente. Essa é uma das lições mais duras que os humanos (ateus) têm de aprender. — Richard Dawkins

Andre calcian escreveu um livro interessante sobre ateismo e niilismo na qual ele justifica a transição do ateísmo ao niilismo com base na ciência moderna. Assim, a ideia é que, uma vez nos tornemos ateus, o niilismo segue-se. Nesse livro ele tenta explicar o mais claramente possível como chegou a essa conclusão.

 - E porque alguém escreveu, eu tenho que seguir? Na minha opinião o ateísmo leva ao Humanismo, este foi o meu caso. Visite o meu blog e leia o post "Ateismo é só uma negação?"

"Ateismo é só uma negação?" E porque alguém escreveu, eu tenho que concordar????? vc que é ateia deve dar algum valor a ciencia e deve perceber que ele chega a conclusãotransição do ateísmo ao niilismo com base na ciência moderna não baseado em opnião tal como é o seu caso.

 - Como é que é??? Você apela para a CIÊNCIA? E diz que  a  "transição do ateismo para o niilismo" é baseado na "ciência"?
Sem mais comentários.

vc diz Você apela para a CIÊNCIA? "transição do ateismo para o niilismo" é baseado na "ciência"?
Andre calcian com base na ciência moderna chegou a essa conclusão, não é minha opinião nem opinião de Andre calcian mas uma conclusão com base científica. ou vc acha que uma frase do tipo "baseado na minha opinião e intuição o ateismo transita para o niilismo" tem uma credibilidade maior .

 - Apenas me explique então porque EU não sou niilista. [*]

FRAZES TAL COMO
“Quanto mais você fala, mais ridículo fica. Já disse, você não sabe NADA sobre nós ateus. ESTUDE! “
“naõ vejo necessidade de comentar mais nada; você claramente não sabe do que está falando.”
“A diferença entre vc e eu”
“Como é que é???? VC apela para a CIENCIA?”
“Nem vc nem ninguem vai me dizer o que devo fazer da minha vida!”
Só mostra o desespero de uma pessoa sem argumentos convincentes

  - Existe uma coisa chamada " abaixo de toda crítica  " - é tão ruim que não tem nem como criticar.
[*] 10/05
@asaheuser  - eu lhe digo o contrário : uma vez nos tornemos ateus, o niilismo segue-se, mas o que eu tenho visto é que os religiosos incomoda o ateísmo e os agnósticos pelo mesmo motivo que o niilismo incomoda os ateus.O religioso diz que, sem Deus, a vida é intolerável; o ateu pensa que, sem sentido, a vida seria uma miséria. Nessa situação, o que incomoda os ateus não é tanto o fato de deus não existir, mas o fato de que, sem uma figura subjetiva autônoma, .
  não há como legitimar qualquer postura de valorização subjetiva com base em elementos externos. Não tem em quê apoiar, pois está sozinho no mundo, e paradoxalmente apoiar-se em si mesmo não os conforta. Então o mundo não tem significado, e essa é uma verdade emocionalmente corrosiva; por isso os ateus tem a tendência de fugir dela.


 - Então, volto a perguntar, porque EU não sou niilista?


vc não é niilista pq não leva seu ateismo até as ultimas consequencias, mas não se preocupe vc não é a unica.


 - E porque eu não faço isso? 
[esperei, ele não respondeu; voltei a insistir:]


  -  Sério, eu queria que explicasse porque eu, atéia há muito tempo, não sou niilista. Bem pelo contrário, eu me importo muito com as pessoas e tenho grande prazer na vida nos meus relacionamentos interpessoais, e não sinto que a vida não tenha um sentido, embora esse sentido não tenha relação com entidades sobrenaturais. 

 bem eu já te expliquei só vc ler novamente meu comentário ok. Parabéns por ter criado um sentido subjetivo para sua vida nesse tempo todo, vc realmente é incrivel e criativa.
  - Se explicou, eu não entendi. Explica de novo
o ateu diz que, sem sentido, a vida é uma miséria. Os ateus não tem em quê apoiar, pois está sozinho no universo, não há como legitimar qualquer postura de significação ou valorização objetiva com base em elementos externos e apoiar-se em si mesmo não os conforta portanto os ateus tem a tendência de fugir do pensamento niilista mesmo ele sendo uma consequencia do ateismo.
  -  "o ateu diz que, sem sentido, a vida é uma miséria"
 - Não, não dizem. Nem eu nem niguém que eu conheça. Volto a dizer o que eu disse desde o começo, você não sabe realmente o que é ser ateu.

**************************************************
 Como os comentários no Youtube às vezes ficam meio confusos e fora de ordem, pode ser que eu não tenha conseguido copiar tudo direitinho e na ordem. Mas acho que dá para ter uma idéia do pensamento da pessoa que me escreveu.

Ele invoca a ciência para sustentar o seu "argumento", sendo que para sustentar a idéia da existencia de um deus ele dispensa essa mesma ciência. Eu não sou cientificista, não aceito sem questionar qualquer coisa que alguém publique, muito menos o que alguém me diz num canal de Youtube.

Por fim, ele alega que respondeu, mas eu não vi realmente nenhuma resposta ali, ele só conclui que eu "não levei o ateísmo às últimas consequências", mas não explica porque, no meu caso particular, o ateísmo não levou ao niilismo. Mas ao menos ele parece que tentou ser gentil no final (ou irônico, difícil saber).
E da minha parte não vou mais continuar essa discussão.
Enfim, não vou comentar mais do que isso, vou esperar pelos comentários dos leitores.

*******************************************************