terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Porque sou alvo de tanto ódio

Pelas reações à minha última postagem vejo a necessidade de explicar melhor algumas coisas.

Engana-se quem pensa que tudo isso começou em 2009. Começou muito antes, em 2006/2007, quando eu participava da comunidade Liberdade de Expressão que na época era uma "terra de ninguém". Certas pessoas postavem o que bem entendiam, e era muito comum que se expressae de forma totalmente escrachada o preconceito contra homossexuais, por exemplo. Eu era uma das que se contrapunha a isso e tentava mostrar que não havia necessidade de tanto preconceito. Invarivelmente associavam a homossexualidade com promiscuidade e "outras coisas" (todos sabem, não preciso dizer). Apresentavam como "prova" as pesquisas de um tal Paul Cameron. Era tudo tão evidentemente exagerado que fui atrás de informação e descobri que havia uma excelente refutação, só que em inglês (para quem quiser saber mais sobre essa refutação, acesse o blog Paul Cameron Refutado aqui ). Mostrei, traduzi uma parte e, é claro, fui solenemente ignorada. Para certas pessoas, a verdade não interessa, mas apenas a "verdade" delas. Fui ingênua, sempre debati mostrando a cara, usando o meu perfil verdadeiro.

O dono da comunidade a princípio não deixava que se controlasse os excessos dos fakes, mas houve tantas cobranças que ele acabou passando a comunidade ao moderador, Haroldo Galves. Ele colocou vários moderadores, eu era uma. Esse era o "relacionamento" que tínhamos, ele dono da comunidade e morando em São Paulo, eu moderadora morando em Rio Grande do Sul. Éramos amigos virtuais, de fato.


Alguém poderia dizer que tive o "azar" de ter conhecido o Haroldo Galves. Na verdade acho que foi o contrário, ele é que teve o azar de me conhecer. No print que reproduzo abaixo fica clara a intenção do meu atacante:

(clique na imagem para aumentar)

O objetivo, coisa que também fica claro lendo qualquer uma das postagens no blog dele, era atingir o movimento ateu como um todo, eu era apenas uma peça conveniente nisso tudo. Reparem também na lingugem "refinada" com que ele responde a uma pessoa que veio em minha defesa.

Então, quais são os meus grandes "defeitos"?

Sou a favor dos direitos LGBT e me recuso a vê-los como pessoas "defeituosas".
Sou a favor da legalização do aborto.
Sou a favor da mulher não ser vista como cidadã de segunda classe.

Na visão deturpada de certas pessoas, isso se traduz como "gayzista", "abortista" e "feminista" (e porque feminista é "palavrão"?). Declaro-me "culpada".

Ah, claro, ia esquecendo. Também sou ateia, o que é algo "execrável" além de qualquer descrição.

Mas o meu maior "pecado" foi não baixar a cabeça para o "grande santo" que se considera superior, que acha que tem o direito de passar por cima de tudo e qualquer coisa para que a "verdade" dele prevaleça.

Se eu tivesse sequer imaginado na época as consequências da minha sinceridade, eu teria feito o que a maioria faz, teria usado um perfil falso. Aí hoje eu não estaria sendo vítima dessa verdadeira campanha para tentar me fazer parecer a pessoa que eu não sou.

Mas não posso voltar e mudar o passado, então só me resta seguir em frente.

A desonestidade mais gritante nisso tudo é dizer que eu apoio atos criminosos, quando justamente o que estou dizendo é que eu acredito na inocência de Haroldo Galves. Sei que juridicamente não, mas na prática é inocente. [Entre outras coisas, a única coisa que a promotoria usou para "provar" a quantidade alegada de imagens no computador é um testemunho altamente duvidos de um funcionário de outra assistência técnica que (ó, surpresa), sumiu.]
E mesmo que não fosse, é crime eu pensar assim?

Reafirmo aqui esse compromisso e essa confiança, e um dia isso ainda será comprovado.

*********************************************

9 comentários:

  1. Muito bem colocado, mas tem gente que não entende que defender a inocência da pessoa não é dizer que algo não é crime. Pegam alguém para linchar, e não há força no mundo que faça mudarem de ideia, depois agem como completos fascistas em cima disso - e acusam qualquer um que manifeste dissidência de serem "ditadores", "gayzistas", "contra a liberdade de expressão", etc... enquanto tentam censurar todo mundo.

    ResponderExcluir
  2. Sim, inclusive é só verificar que no blog dele ele só publica os comentários que quer.

    ResponderExcluir
  3. Por que perdem tempo criticando tanto a alguem que acredita na inocência de uma pessoa que tinha fotos de menores num computador quando tem tantos Padres, cobertos e defendidos pela igreja catolica diretamente comendo crianças por ai?

    ResponderExcluir
  4. É triste querida mas é o preço do enfrentamento.

    E o mov. ateu lhe deve bastante por isso, sendo dever de qualquer membro que perceber tentarem denegrir sua imagem a defender.

    Ñ leve para o pessoal, vc sabe que essas pessoas são alienadas e ñ enxergam o ser humano que és.

    Obrigada e parabéns pela coragem. :)

    ResponderExcluir
  5. Asa, porque vc nao entra com processo judicial e penal contra o Roberto por calunia, difamacao, injuria e dano moral ?

    O que ele esta fazendo, é inadmissivel sob qualquer circunstancia.

    ResponderExcluir
  6. Um processo judicial seria realmente uma boa Asa.

    Thiago Sprovieri.

    ResponderExcluir
  7. O ódio que você recebe é parte do tributo que tem por ser uma pessoa que defende um mundo mais racional e humanista. A energia que detratores anti-humanistas e irracionais gastam em você existe também para mostrar a qualidade dos princípios que você defende.

    Bjos
    Eli

    ResponderExcluir
  8. A hipocrisia do sujeito é tão grande que ele defende:
    Mayara Petruso, acusada de zombar das desgraças acontecidas com nordestinos em enchentes.
    O goleiro Bruno, acusado de assassinar a mulher Eliza Samúdio, que ele chama de "prostituta" em seu blog.
    Defende o "direito" de Datena de chamar travestis de "isso é um traveco safado".

    E vem dizer que "sentença irrecorrível é prova de culpa".

    Sentença irrecorrível só é prova de culpa num Universo onde seres humanos são infalíveis, onde uma sentença em que a defesa não pode fazer a perícia tem o mesmo valor de uma onde ela pode, e onde ser acusado de ter fotos de menores de idade no computador (tendo sido alegado logo na delegacia a motivação altruísta de identificar e denunciar um suspeito através de duas conversas em MSN gravadas pelos suspeito)é igual ao acusado ser "pedófilo".

    Ele, que considera Mayara Petruso inocente, se ela for condenada por sentença irrecorrível, vai mudar de opinião e se colocar a favor da sentença?

    O cúmulo da ironia é que ele mantém em seu blog, antes da área de postagens com comentários, que ele seleciona segundo é a seu favor o seguinte:
    "Reservo-me no direito humano de não publicar asneiras e comentários desrespeitosos. Aos desavisados, aviso:

    "Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
    Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa."

    Não é o cúmulo da cara de pau? O cara chama a moça assassinada presumivelmente pelo goleiro Bruno de "pois Eliza é a puta que virou santa".

    E pensar que a moça está morta e o "valentão" a ofende...

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir