quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

A história de Haroldo Galves - O meu lado

Desde muito tempo que os meus detratores se aproveitam da história de um homem que foi vítima de uma grande injustiça. Cabe dizer que já me atacavam muito antes disso, o bullying virtual não começou a partir dessa ocasião mas bem antes, em 2008 como podem ver aqui .

Antes de começar a contar a história propriamente dita, quero explicar porque acredito na inocência dele.

- Ele nunca foi acusado de nada além de possuir algumas fotos de nus de menores de idade; principalmente não há uma única acusação de qualquer contato com alguma criança
- Nunca foi feita uma perícia de fato pela defesa para determinar a quantidade de fotos no computador; só a promotoria teve acesso e evidentemente só olharam o que lhes interessava.
- Ele não sabia que a lei havia mudado, e que a posse deste tipo de material havia se tornado "crime inafiançável" poucos meses antes; só foi preso porque foi considerado "flagrante", e ele não pôde pagar fiança.
- Ele podia ter negado conhecimento sobre as imagens, e se fosse verdadeiramente um "consumidor" deste tipo de material, e sendo que o computador estava na assistência técnica há dois ou três dias, era o que teria feito. Mas ele foi ingênuo e confirmou que as imagens eram dele, e tentou explicar que estava por conta própria tentando encontrar informações que levassem a um verdadeiro abusador, sem saber que a simples posse agora já era crime. Um verdadeiro criminoso teria agido assim? Ou teria aproveitado fato de o computador estar há três dias longe das vistas dele para alegar desconhecimento, e alegar que outra pessoa as colocou lá?

E agora vou à parte do que aconteceu comigo.

Em junho de 2009 Haroldo Galves foi preso por causa da posse desse material proibido. Imediatamente comecei a receber uma enxurrada re recados "carinhosos" no Orkut, me chamando de "Amiga de ped....." A exemplo de uma pessoa que publicou uma nota de apoio ao Haroldo, endossei essa nota. A partir daí fui duramente atacada pelo simples fato de ter declarado que acreditava na sua inocência. A pessoa que publicou a nota em primeiro lugar, assim como outra que também declarou o seu apoio, não sofreram nenhum tipo de ataque. Curioso, não? Cabe dizer que eu e o Haroldo nos conhecíamos por ele ser dono de uma comunidade - Liberdade de Expressão - e eu era moderadora.

Passei dias sofrendo um verdadeiro bullying virtual, com o Roberto Cavalcanti usando o seu perfil verdadeiro entrando em todas as comunidades que pôde onde eu participava para postar as suas acusações. O que mais me chocou foi que uma das primeiras comunidades em que entrou foi uma que fiz em homenagem ao meu falecido pai cuja memória me é muito cara, para sem nenhuma sensibilidade à minha recente perda, postar lá também.

Fiquei mal, conversei com várias pessoas, tive dúvidas, e no desespero acabei postando uma nota de repúdio, por ter me convencido àquelas alturas que ele deveria ser culpado. Essa é a única parte de que me arrependo, e profundamente.

O tempo passou e eu tive tempo de colocar os meus pensamentos em ordem e os acontecimentos em perspectiva. E voltei a ter contato com o Haroldo, que me contou vários detalhes do que ocorreu.

No ano passado assunto surgiu em uma comunidade em que participava, e eu manifestei que não deviam colocar as coisas dessa forma, porque tudo indicava que ele era inocente. Imediatamente o Roberto Cavalcanti tirou um print disso e aproveitou para me atacar novamente no seu blog. E sempre que ele tem oportunidade, aproveita qualquer pretexto para retomar o assunto. Num destes ataques ele usou a expressão "por ter se amasiado com um ped...", de forma extremamente desonesta dando a impressão de que eu convivia com o Haroldo. Só que ele mora em São Paulo e eu no Rio Grande do Sul, fato que é de pleno conhecimento de Roberto Cavalcanti. Não vou colocar links ao blog dele, porque me recuso a promovê-lo aqui. Mas se alguém tiver curiosidade não será difícil de encontrar.

Em resumo, o Roberto Flávio Cavalcanti pratica bullying virtual não só comigo, mas principalmente com Haroldo Galves, que não merece o que está passando por causa disso. Mas afinal, o Roberto Cavalcanti é um "santo". Ele "pode". [ironia mode ON]

Sei que ao fazer essa postagem a única coisa que ganharei são mais ataques e perseguições. Quem for inteligente e tiver alguma empatia vai entender porque estou fazendo isso.

Para finalizar, a próxima postagem aqui no meu blog será o próprio Haroldo Galves contando a sua história.

Ele tem esse direito.

***************************************

8 comentários:

  1. Tenho 32 anos, 2 filhos, uma menina de 8 anos e um menino de 6. Moro poucos metros da casa do Haroldo e conheço Haroldo desde antes de ele se mudar para onde mora agora em 2006. Antes de morar na rua atual ele morava perto a uns 200 metros. Sempre o vi trabalhar e ser muito estudioso, meio tímido pelo menos comparado comigo mas quando conhecia a gente se abria bastante. Ele nunca teve um comportamento estranho com crianças e na verdade até se irritava com brincadeiras barulhentas delas. Quando soube que tinha aparecido aquilo na televisão nao tive um minuto de duvida de que era um absurdo, principalmente porque eu já sabia que ele fazia denuncias contra todo tipo de gente ruim no orkut e outros sites da internet. Ele me mostrou prints de racistas, neonazistas, caras que pregavam a matança de gays e de crianças negras e perfis de pedófilos que ele expulsou de uma de suas comunidades. Eu sempre soube o que aconteceu porque ele se metia mesmo em grupos de neonazistas para denunciar eles e ele mesmo me contou como identificava abusadores de crianças e racistas usando o msn e foruns de discussão. Aqui perto de onde eu moro só quem não o conhecia imaginou que o que o Datena falou era verdade, quem o conhece e conhece sua mãe sabe que nunca houve nada que desse sinal dele ser o que acusaram ele. A maior vítima foi a mãe dele que devido a ataques feitos a ela a chamando de puta arrombada e outras coisas e telefonemas que ela recebeu com ameaças e xingamentos, sofreu um derrame e ficou paralisada e hoje é o próprio Haroldo que cuida dela.
    Se tem uma pessoa em que eu confiaria para cuidar de meus filhos seria o Haroldo. Uma coisa é voc~e ouvir falar de uma pessoa de longe, outra é conhecer pessoalmente por tanto tempo.
    Um dia essa injustiça toda vai ter uma reviravolta e os verdadeiros criminosos, os que atacam ele agora é que vão pagar.
    um beijo no seu coração dona Asa e tudo de bem, continue lutando contra esses aí que a senhora se referiu para eles receberem a mão da justiça pesada em cima deles.

    Eliane

    ResponderExcluir
  2. Eu pensei que ira aparecedr meu hotmail quando coloquei como perfil mas não apareceu por isso está aqui: elianebfer@hotmail.com

    Alguma dúvida pode me mandar e-mail. Confirmo tudo o que disse e confirmo ainda mais. A unica coisa que Haroldo foi culpado foi baixar as fotos porque isso virou proibido mas isso ele fez pra denunciar identificando pedofilos de verdade. Agora pedófilo ele não é, disto eu tenho a mais absoluta certeza e se quiser comprar uma briga comigo é só falar isso.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Pelo que vi, é perseguida a tempo demais por gente com raciocinio de menos, ASA estou do seu lado.

    Thiago Sprovieri.

    ResponderExcluir
  5. Na verdade não existe um laudo pericial detalhado. O acórdão diz "Segundo Denúncia", não "comprovado pela perícia".

    Me pergunto, quanto tempo alguém levaria para conseguir contabilizar 65 mil fotos?

    ResponderExcluir
  6. O interessante é que sou considerada praticamente uma criminosa por declarar que não acredito na culpa do Haroldo. Mas por ocasião daquela nota de repúdio que fiz, a perseguição não parou!

    O objetivo do Roberto é me atacar. Ponto.

    Ele pensa que fazendo isso está atingindo todos os ateus, quando o meu maior "pecado" seria ser ingênua, se fosse o caso. Onde em qualquer lugar alguém consegue encontrar qualquer evidência de que eu apoio atos criminosos? Pois se eu justamente não acredito que haroldo seja culpado de nada.

    ResponderExcluir
  7. Certas pessoas são muito pródigas em adjetivos fortes quando se trata dos outros, mas quando chega a vez delas de repente é o fim da picada. Certas pessoas também se aproveitam da vulnerabilidade dos outros de forma bem covarde.

    ResponderExcluir
  8. Em "O auto da compadecida", Ariano Suassuna mostra algo interessante do mito cristão. Ele mostra que quem acusa é o demônio.. O demônio é o personagem que aponta o dedo, que distorce fatos, que raciocina linearmente, que tenta levar o outro ao inferno. Åsa, como eu costumo dizer, o povo é o algoz mais violento que pode existir, se o povo fosse Juiz, haveria pena de morte para roubo de galinha. Eu não sei nada da história do Haroldo e repudio qualquer manifestação pedófila, mas por mais repugnância que o fato gere, todo ser humano tem direito a um julgamento justo, e por incrível que pareça, os religiosos são quase sempre os primeiros a jogar pedras. Pela minha lembrança, não foi isso que Jesus ensinou. Amo você. Beijos. Meire

    ResponderExcluir