segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Revista Época - A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico - notícias em Sociedade

O diálogo aconteceu entre uma jornalista e um taxista na última sexta-feira. Ela entrou no táxi do ponto do Shopping Villa Lobos, em São Paulo, por volta das 19h30. Como estava escuro demais para ler o jornal, como ela sempre faz, puxou conversa com o motorista de táxi, como ela nunca faz. Falaram do trânsito (inevitável em São Paulo) que, naquela sexta-feira chuvosa e às vésperas de um feriadão, contra todos os prognósticos, estava bom. Depois, outro taxista emparelhou o carro na Pedroso de Moraes para pedir um “Bom Ar” emprestado ao colega, porque tinha carregado um passageiro “com cheiro de jaula”. Continuaram, e ela comentou que trabalharia no feriado. Ele perguntou o que ela fazia. “Sou jornalista”, ela disse. E ele: “Eu quero muito melhorar o meu português. Estudei, mas escrevo tudo errado”. Ele era jovem, menos de 30 anos. “O melhor jeito de melhorar o português é lendo”, ela sugeriu. “Eu estou lendo mais agora, já li quatro livros neste ano. Para quem não lia nada...”, ele contou. “O importante é ler o que você gosta”, ela estimulou. “O que eu quero agora é ler a Bíblia”. Foi neste ponto que o diálogo conquistou o direito a seguir com travessões.

- Você é evangélico? – ela perguntou.
- Sou! – ele respondeu, animado.
- De que igreja?
- Tenho ido na Novidade de Vida. Mas já fui na Bola de Neve.
- Da Novidade de Vida eu nunca tinha ouvido falar, mas já li matérias sobre a Bola de Neve. É bacana a Novidade de Vida?
- Tou gostando muito. A Bola de Neve também é bem legal. De vez em quando eu vou lá.
- Legal.
- De que religião você é?
- Eu não tenho religião. Sou ateia.
- Deus me livre! Vai lá na Bola de Neve.
- Não, eu não sou religiosa. Sou ateia.
- Deus me livre!
- Engraçado isso. Eu respeito a sua escolha, mas você não respeita a minha.
- (riso nervoso).
- Eu sou uma pessoa decente, honesta, trato as pessoas com respeito, trabalho duro e tento fazer a minha parte para o mundo ser um lugar melhor. Por que eu seria pior por não ter uma fé?
- Por que as boas ações não salvam.
- Não?
- Só Jesus salva. Se você não aceitar Jesus, não será salva.
- Mas eu não quero ser salva.
- Deus me livre!
- Eu não acredito em salvação. Acredito em viver cada dia da melhor forma possível.
- Acho que você é espírita.
- Não, já disse a você. Sou ateia.
- É que Jesus não te pegou ainda. Mas ele vai pegar.
- Olha, sinceramente, acho difícil que Jesus vá me pegar. Mas sabe o que eu acho curioso? Que eu não queira tirar a sua fé, mas você queira tirar a minha não fé. Eu não acho que você seja pior do que eu por ser evangélico, mas você parece achar que é melhor do que eu porque é evangélico. Não era Jesus que pregava a tolerância?
- É, talvez seja melhor a gente mudar de assunto...


Leia mais em:

Revista Época - A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico - notícias em Sociedade

*****************************************************************

5 comentários:

  1. É exatamente assim que acontece, tenho uma amiga que é Evangélica, de família evangelica tradicional, vai à igreja mais 3 vezes por semana, mas tem uma capacidade enorme de conversar sobre religião, aborto e por aí vai de uma muito tolerante e até mesmo sem apelar para o religioso, ée claro que às vezes ela vem com "Deus pra lá, Deus pra cá" mas já entendeu que crença não é requisito básico para ser descente, consigo mesmo e com os demais.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Åsa! Gostei muito da matéria... Mas que par de comentários são aqueles nesse site da Revista Época? Parece um bando de gatos reunidos que não se entendem, rs!
    Olivia, a sua amiga é muito interessante e existe mais delas por aí. Por exemplo, meu namorado não pertence a nenhuma religião, mas acredita em Deus, porém mesmo assim nunca me obrigou a pensar como ele e um dia comentou o quanto sou tolerante por mais atéia que eu seja.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. O ateismo eh algo natural, faz parte da evolucao humana. Existe uma pesquisa realizada pelo Gallup, que avalia o nivel de religiosidade dos paises e o Brasil esta menos religioso a cada ano, apesar de termos uma percepcao do contrario, devido ao marketing destas religioes. Quando o individuo Brasileiro receber amparo efetivo do sitema de justica, educacao, saude, segura publica, politica, que ele tem direito por pagar para isto, entao teremos um povo livre de dogmas . Mas ateh lah, eh soh por deus mesmo.
    Observem que na pesquisa Gallup indica uma relacao entre o IDH de um pais e seu nivel decreligiosidade.

    ResponderExcluir
  4. EXCELENTE o seu blog!
    Parabéns! Não o conhecia, cheguei aqui através do Google usando as palavras-chave "ateu natal". Sou atéia também, mas adoro o natal, hehehe. Comemoro como Solstício de Verão, e aproveito pra comer muita coisa gostosa ;)

    Grande abraço, e muitos panetones (se vc gostar de panetones)

    ResponderExcluir
  5. Geisa
    Obrigada pelo comentário, fique à vontade para comentar sempre que quiser.
    Gosto muito de panetone. :)
    Abração!

    ResponderExcluir