quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Depoimento emocionante da mãe de Alexandre Ivo

 ************************************

Por isso a PLC 122 tem que ser aprovada.


*****************************************

4 comentários:

  1. Olá, Åsa!
    Em primeiro lugar, desculpa por estar escrevendo esse comentário sem ter nada haver com o post.. Se quiser excluí-lo, fique a vontade... Só queria que soubesses que deixei um presentinho pra você lá no blog. É um selo que ganhei e você o merece com todo carinho... Amo você e seu blog! Dá uma passadinha no meu blog e se aceitar... Ficarei intensamente feliz...
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Ãsa, depois de ver o depoimento desta mãe, não há como não pensar que poderia ser eu em seu lugar.

    Sou pai de duas meninas e dois meninos e assim como essa mãe, tento passar valores para eles. Mesmo não os tendo recebido de meus pais, mas a vida humana deve sempre estar acima de qualquer conceito social.

    As pessoas que assassinaram este garoto devem sim, ser presas, mas uma pergunta não quer calar:

    Será que eles aprenderão alguma coisa sobre respeito à vida, dentro de uma prisão como as que temos no Brasil?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Eu preferiria não ter que escrever o que vou escrever, considerando o peso do sofrimento da mãe do garoto e a injustiça que foi cometida, mas não posso deixar de notar a ligação que há entre a ignorância sobre a gênese da homossexualidade e grande parte da intolerância com os homossexuais. A mãe dele fala sobre "a escolha da vida dele para a orientação para ser homossexual" e "nem que tivesse escolhido a nossa família o trataria de forma diferente por conta dessa opção". Pois bem, lamento muito que ainda tanta gente desconheça um fato tão simples, se não for óbvio e, de qualquer modo, comprovado cientificamente de que homossexualidade NÃO É ESCOLHA OU OPÇÃO. A perpetuação desse mito idiota e evidentemente absurdo, embora não seja a causa da homofobia, ajuda a promover a homofobia por conta de se crer que pode-se escolher ser ou não ser homossexual ou heterossexual. Eu ainda estou para encontrar um homossexual (ou um heterossexual) que tenha realmente escolhido sua orientação sexual conscientemente, que tenha mudado de orientação sexual propositalmente. Sei que nem vale a pena esperar porque nunca vou encontrar um único caso. Homossexualidade não é escolha e, mesmo que ainda possa ficar em aberto a questão de quanto por cento o ambiente influencia na orientação sexual das pessoas e quanto por cento é genético, estou plenamente certo de que orientação sexual não está ao alcance de nossa vontade, não está sujeita a escolhas conscientes nossas e não é opcional. Você é o que é porque nasceu assim ou se tornou muito cedo na infância, mas jamais escolheu ser homossexual.
    Para não ficar uma má impressão, fecho dizendo que me solidarizo com essa mãe, em que pese sua opinião equivocada sobre sexualidade e orientação sexual, e que desprezo profundamente quem matou o garoto e desprezo todos os homofóbicos do mundo.

    ResponderExcluir
  4. A morte natural ou acidental já é bastante dolorosa, mas essa morte cruelmente planejada é algo que foge à compreensão de qualquer ser (realmente) humano. Tenho uma filha de 18 anos e tenho até medo de pensar qualquer coisa que possa acontecer com ela porque, infelizmente, a sociedade está doente.

    Mas tenho que concordar com o Screensailor acima. Mal comparando, quando nós, ateus, dizemos que o ateísmo não é uma escolha, mas uma conclusão a que chegamos depois de muito pensar, a homossexualidade também não é uma escolha. Se assim fosse, poderíamos perguntar para qualquer pessoas heterossexual quando foi e por que foi que ela escolheu ser heterossexual, pois todo ser humano teria passado por esse momento de escolha. Ou melhor, nós nos lembraríamos do momento da nossa escolha.
    Na verdade ninguém lembra do momento da escolha da sua sexualidade pois esse momento não existe. Simplesmente o tempo passa e nos descobrimos com essa ou aquela preferência.

    ResponderExcluir