domingo, 18 de julho de 2010

Tradições devem ser sempre questionadas

Aprendi com a minha mãe a analisar de forma objetiva qualquer costume ou tradição, para entender de onde veio e porque surgiu, e principalmente se ainda é válida de alguma forma. A origem em geral tem um cunho simples e prático.

Por exemplo, porque comemos ovos na Páscoa?
Para entender isso temos que primeiro analisar como eram as condições de vida no lugar onde essa tradição surgiu. Na Europa, principalmente no norte, o inverno é muito escuro, além de frio. Antigamente não havia luz artificial como agora, então as galinhas paravam de pôr ovos no inverno. Na primavera, quando os dias ficavam cada vez mais longos e claros, as galinhas recomeçavam a postura. Ao mesmo tempo, as provisões de inverno já estavam acabando. Então, uma das coisas que havia para comer em abundância eram ... ovos!

Um hábito ainda relativamente comum no interior do Brasil é a mulher não lavar o cabelo quando está menstruada ou até 40 dias depois do parto. Hoje não tem nenhuma lógica, mas ainda assim o costume é mantido de forma um tanto supersticiosa.
A verdade é que há uma origem para esse costume, e na época fazia sentido. É porque antigamente as pessoas tomavam banho de açude, e realmente uma mulher menstruada ou que pariu recentemente não deve entrar de corpo inteiro em uma água funda, pois pode entrar água suja e provocar uma infecção. Com o advento do chuveiro, o cuidado se tornou sem sentido, pois não envolve esse perigo. No entanto a idéia de não tomar banho foi incorporada sem que se compreendesse porque, levando à manutenção do costume desnecessariamente.

Esses são só dois exemplos de costumes mal compreendidos.
Alguém lembra de mais algum?

4 comentários:

  1. não sei sobre a origem do mito, mas tem um pouco daquela ideia de que mulher menstruada não pode cozinhar por estar "suja".

    associação de menstruação e sujeira é reiterada diversas vezes no antigo testamento mas mais no que toca o sexo.

    ResponderExcluir
  2. Cortar o cabelo em determinada fase da lua (minguante, cheia, etc).

    Bobagem, obviamente.

    ResponderExcluir
  3. O cérebro humano tem duas partes e só uma delas é objetiva. Analisar as coisas de forma objetiva pode ser interessante, mas não é tudo.
    As pessoas gostam de comer ovo de chocolate na páscoa. Eu particularmente não gosto de chocolate mas a maioria gosta.
    Não tem nada de objetivo nisso =)
    E Nem precisa ter =)
    Tudo bem que talvez exista uma origem e uma trajetória do costume de tempos antigos até os dias de hoje. Uma parte dessa história pode ser remontada e analisada de forma objetiva. O que é interessante. Mas a objetividade não é tudo e não explica o ser humano e seus hábitos. =)

    ResponderExcluir
  4. @ Gabriel

    Na verdade, essa questão dos ovos foi só para mostrar que há uma origem prática para aquilo, e que a atribuição do simbolismo religioso de "ressurreição" foi um acréscimo posterior conveniente.
    Por mim que comam chocolate à vontade. :)
    E o fato de sabermos a origem de alguns hábitos não significa automaticamente rejeitá-los. Se nos dá prazer e não prejudica, sem problemas.
    Outros provavelmente nunca saberemos a origem, mas o importante mesmo nesse caso é analisar se aquilo prejudica de alguma forma ou se ainda é útil. Algumas tradições se transformam em superstições, e podem se tornar um fator limitante desnecessário. Aí é mais sensato dedistir delas.
    Abraço :)

    ResponderExcluir