sábado, 24 de julho de 2010

Martha Medeiros em defesa do casamento gay

Na Zero Hora de domingo (que já é distribuído aos assinantes no sábado à tarde) tem a opinião de Martha Medeiros a respeito do casamento gay

Vou reproduzir abaixo e destacar algumas partes mais relevantes. Sugiro que o máximo possível de pessoas escrevam um e-mail parabenizando-a pela opinião, para contrabalançar os que vão cair em cima dela com seus preconceitos. E também é bom escrever para a coluna do leitor.

*********************
A fé de uns e de outros

Religião deveria servir apenas para promover o amor e a paz de espírito

Apoio que as pessoas se manifestem publicamente contra a violência urbana, contra os altos impostos que não são revertidos em benefícios sociais, contra a corrupção, contra a injustiça, contra o descaso com o meio ambiente, enfim, contra tudo o que prejudica o desenvolvimento da sociedade e o bem-estar pessoal de cada um. No entanto, tenho dificuldade de entender a mobilização, geralmente furiosa, contra escolhas particulares que não afetam em nada a vida de ninguém, a não ser aos diretamente envolvidos, caso da legalização do casamento gay, que acaba de ser aprovado na Argentina.

Se dois homens ou duas mulheres desejam viver amparados por todos os direitos civis que um casal hétero dispõe, em que isso atrapalha a minha vida ou a sua? Estarão eles matando, roubando, praticando algum crime? No caso de poderem adotar crianças, seria mais saudável elas serem criadas em orfanatos do que num lar afetivo? Ou será que se está temendo que a legalização seja um estímulo para os indecisos? Ora, a homossexualidade faz parte da natureza humana, não é um passatempo, um modismo. É um fato: algumas pessoas se sentem atraídas – e se apaixonam – por parceiros do mesmo sexo. Acontece desde que o mundo é mundo. E se por acaso um filho ou neto nosso tiver essa mesma inclinação, é preferível que ele cresça numa sociedade que não o estigmatize. Ou é lenda que queremos o melhor para nossos filhos?

No entanto, o que a mim parece lógico, não passa de um pântano para grande parcela da sociedade, principalmente para os católicos praticantes. Entendo e respeito o incômodo que sentem com a situação, que é contrária às diretrizes do Senhor, mas na minha santa inocência, ainda acredito que religião deveria servir apenas para promover o amor e a paz de espírito. Se for para promover a culpa e decretar que quem é diferente deve arder no fogo do inferno, então que conforto é esse que a religião promete? Não quero a vida eterna ao custo de subjugar quem nunca me fez mal. Prefiro vida com prazo delimitado, porém vivida em harmonia.

Sei que sou uma desastrada em tocar num assunto que deixa meio mundo alterado. Daqui a cinco minutos minha caixa de e-mails estará lotada de agressões, mas me concedam o direito ao idealismo, que estou tentando transmitir com a maior doçura possível: não há nada que faça com que a homossexualidade desapareça como um passe de mágica, ela é inerente a diversos seres humanos e um dia será aceita sem tanto conflito. Só por cima do seu cadáver? Será por cima do cadáver de todos nós, tenha certeza. Claro que ninguém precisa ser conivente com o que lhe choca, mas é mais produtivo batalhar pela erradicação do que torna nossa vida ruim, do que se sentir ameaçado por um preconceito, que é algo tão abstrato.

Pode rir, mas às vezes acho que acredito mais em Deus do que muito cristão.

e-mail: marthamedeiros@terra.com.br
Coluna do Leitor: leitor@zerohora.com.br

Eu simplesmente ADORO essa mulher! Quero ser como ela quando crescer. :)


************************
Na mesma linha tem um artigo em defesa da adoção por casais homossexuais:
[Zero Hora] A roda dos enjeitados, por Ronaldo Sindermann*

*************************

11 comentários:

  1. muito bom ....
    ela disse tudo ..

    adorei mesmo

    ResponderExcluir
  2. Ninguém tem direito de julgar nem cercear a liberdade de alguém.
    Homossexualidade é assunto que deve ficar no nível humano e social. Que ninguém interfira na escolha que dano algum causará a outros.

    ResponderExcluir
  3. gostei ela deixo bem
    expresso seu ponto de vista
    acho q toda procura para sua pro felicidade
    é valida
    q seja homem com homem mulher com mulher
    naum importa
    o importnte é existir amor
    e respeito é claro
    e muito bom senso eu diria tbm
    bjim guria
    otima materia

    ResponderExcluir
  4. Oii

    Realmente preconceito nao esta com nada, a opção sexual, é da escolha de cada um, o que importa é que sejam felizes e nao façam mal a ninguem.Acho que muito que tem preconceito e descriminam o casamento homossexual, devem ter desejo reprimido e nao tem coragem de se revelar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Afirmar que a religião deveria servir para promover o amor e a paz, é um pouco ingênua: Depende de que tipo de religião, interpretações e pontos de vistas. No tocante ao homossexualismo, existem implicações envolvidas, apesar da liberdade de cada um. Implicações essas que trazem conseqüências. Por favor, veja o seguinte artigo: http://www.zadoque.com/cadernos/gays-matam-menino-de-6-anos-01.html
    (Zadoque)

    ResponderExcluir
  6. Aaaah casais heterossexuais nunca mataram ou maltrataram crianças adotivas, né? Só existe amor nas relações heterossexuais... acho que entendi.

    ResponderExcluir
  7. è por essas e muitas outras.que a Martha é a minha preferida..

    As pessoas podiam prestar mais atenção no que voce escreveu ai.. Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Concordo com tudo que a Martha disse, mas faço apenas uma observação:
    precisamos tomar cuidado com nossos adolescentes e jovens.
    Vejo que "qualquer forma de amor vale a pena" virou modismo entre essa geração.
    O ficar com meninAs e meninOs é natural.
    Isso me preocupa.
    Admiro aqueles que fazem suas escolhas sexuais com responsabilidade, amor ao próximo, respeito.
    Não gosto desse modernismo, do bissexualismo despertado tão cedo em nossos adolescentes.
    Esse modernismo pra mim é decadência moral, falta de limites.

    ResponderExcluir
  9. Marta é ótima! Com mil pontos de exclamação e muitas reticências pra lá de positivas. Um afetuoso abraço do admirador Ronaldo S.Oliveira.

    ResponderExcluir
  10. Pode rir, mas às vezes acho que acredito mais em Deus do que muito cristão. A Palavra cristão significa imitador de cristo e a Sra. (SRA. NÃO VOCÊ POIS NÃO É CASADA) Pode ter certeza que realmente pode acredito mais em Deus que os religiosos que se proliferam pelo país... mas ACREDITAR em DEUS é algo que até os demônios fazem, e tremem... quero ver fazer a vontade Dele... ah isso certamente você não aceita! Minha irmã criatura arrependa-se de seus pecados e torne ao seu Criador enquanto há tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade sou casada sim.
      De resto achei difícil entender o que está querendo dizer, muito confuso.

      Excluir