quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Entrevista ateista

Saiu no blog ATEU ATIVO de Walison Douglas, uma entrevista feita por ele ontem. Os entrevistados foram eu, o Vides Junior e Marcelo Ronconi.
Confira no link:
Entrevista ateista

Achei as perguntas bem escolhidas, e gostei de participar.

************************************
A propósito, lembrei de uma outra entrevista em uma comunidade do Orkut. Organizei tudo no meu Multiply, aqui está na íntegra:
Entrevista na comunidade A&A, em julho de 2008

3 comentários:

  1. Åsa, boa tarde!
    Vou conferir tua entrevista e aprender mais. Estou estudando em Filosofia sobre a questão de religião espero pode entender como religião e moral se misturam e o que nos faz aceitar algumas coisas tão inexplicáveis ou pelo menos não racionais como verdades.
    Meu blog espera uma visitinha sua, quando puder é claro. Hoje passei boa parte do dia repondo as fotos, sem querer delei o arquivo do blog. rsrsrsrsrrsrr é a caduquice chegando!
    Abraço,
    Lúcia

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da entrevista!
    Muito obrigado pelo comentário em meu blog, admiro sua posição e sua coragem num país onde ateísmo continua sendo entendido como sinônimo de imoralidade em pleno século XXI.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre fico impressionado quando vejo declarações de ateus quanto ao processo pelo qual se tornaram ateus. Me impressiona muito a convergência das ideias, a maneira como tudo se processou, mesmo que a origem ideológica-religiosa de cada um seja radicalmente diferente. Chega um momento que o pensamento dos ateus converge e entra em sintonia perfeita, mesmo que nunca tenham se encontrado na vida. Uma frase tua na entrevista é também minha: "Ser ateu/atéia não é uma escolha, mas uma conclusão a que se chega." Eu sempre citei essa frase, literalmente, com essas exatas palavras. Para mim, essa convergência que se observa em todos os ateus só pode significar que estamos encontrando uma verdade única, ao contrário dos crentes que se dispersam em religiões contraditórias e conflitantes. Não existe uma verdade única como pano de fundo das religiões.
    Abraço, Zeca.

    ResponderExcluir