sábado, 21 de novembro de 2009

Ceticismo para principiantes

Acredito que muito já se falou sobre esse assunto, mas eu ainda tenho a impressão de que a maioria das pessoas não tem uma idéia muito clara do que seja isso.
Dependendo do enfoque, pode parecer muito complicado, ainda mais se vamos para o lado das definições filosóficas, que nunca foi o meu forte.
Então, resolvi tentar simplificar um pouco a questão, para clarear a idéia até para mim mesma. De um ponto de vista prático, ceticismo é o velho e saudável pé atrás, pulga atrás da orelha, o "bom demais para ser verdade", e tantos outros conceitos populares semelhantes. Eu poderia até citar o "quando a esmola é muito grande, o santo desconfia", porque mostra que não é necessário ser ateu para ser cético.
A vasta maioria das pessoas são céticas, dependendo do assunto. Quando vemos uma propagando enaltecendo as qualidades de um produto, ou um político fazendo promessas de campanha, a gente normalmente fica desconfiado. Isso é ceticismo.
Cético não é aquele que desconfia de tudo, não é sinônimo de cinismo ou niilismo. O ceticismo saudável, a que estou me referindo, é a nossa capacidade de detectar o exagero, e o impulso para descobrir mais sobre o assunto, nos informando melhor para ter certeza do que estamos fazendo. Essa é uma atitude sensata, "pé-no-chão", nesse nosso mundo tão cheio de espertalhões tentando nos enrolar para tirar vantagem.

Vou voltar a esse assunto logo mais, em um contexto mais específico.

Um comentário:

  1. Olá, Åsa, tudo bem? Certamente esperarei a continuação do assunto, porque eu mesmo ainda não descobri exatamente a diferença entre cético e ateu (na verdade é falta de leituras, mesmo, mas os trabalhos acadêmicos a justificam... hehehehehe). Mas sobre o ceticismo em geral, é interessante como até mesmo entre católicos impera um grande ceticismo para com a alta cúpula: discordância sobre uso da camisinha, homossexualidade, pesquisas com células-tronco, casamentos não oficiais, sexo antes do casamento etc. Em tudo isso a maioria das pessoas não concorda com o papa! É só sair na rua e perguntar!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir