domingo, 25 de outubro de 2009

Uma janela para o mundo

Para quem tem menos de 20 anos, pode ser difícil imaginar um mundo sem a internet. Quando surgiu ainda era algo inacessível à maioria das pessoas, ainda mais no interior, a 500 km da civilização. Eu me sentia muito isolada, muito sozinha, porque eu não tinha quase ninguém com quem pudesse trocar idéias.

A internet mudou isso. Deve ter sido em 1999 que começamos a usá-la. No início não haviam tantos recursos, a conexão era discada, cara, e não havia ainda tanto material para pesquisar. Mas foi assim que descobri a STR - Sociedade da Terra Redonda, em 2000. Um site ateu, isso era inusitado! Eu salvava as páginas para ler depois, para não ficar conectada muito tempo. Descobri que eles precisavam de editores, inclusive de inglês. Mandei um e-mail e me ofereci. Me aceitaram e comecei a traduzir textos para o site e a participar de algumas discussões. Isso tudo me ajudou muito a definir o que eu pensava, todo o processo de raciocínio que eu não tinha passado na adolescência por falta de oportunidade, passei depois dos 40.
Vários editores moravam em Porto Alegre, então nós nos reunímos várias vezes pessoalmente. Foi uma experiência enriquecedora realmente.

A STR durou uns 4 anos, e depois simplesmente estancou, porque o Presidente não tinha mais tempo para se dedicar, e não delegava a manutenção do site para mais ninguém. Foi uma pena, mas em todo caso foi um precursor de vários outros movimentos, e cumpriu o seu papel. E teve uma reportagem na Veja em 2002 sobre ateísmo onde eu apareci. http://veja.abril.com.br/050602/p_084.html

Até hoje a única forma de muitos ateus encontrar outros é pela internet. E muitas organizações virtuais se tornaram possíveis só por causa disso em um país tão grande como o Brasil. Então o Santo Google é o nosso santo padroeiro e Bill Gates é o nosso Profeta. ;-D

2 comentários:

  1. Aprender a descentralizar hoje no mundo da comunicação é a regra. E manter e levar a diante coisas, tradições, ensinamentos e esclareciemtnos faz falta, muita falta. Não que seja saudosista, mas eu penso que o saber nunca é demais.
    Eu me considero crente em Deus, mas não sou religiosa, já passei por algumas iniciações, mas não acho as respostas, então estou tentando entender o que seja ser um ateu em sentido literal e aplicado a vida.
    Estou estudando sobre o assunto. E seu blog está ajudando muito.

    ResponderExcluir
  2. As vezes penso em assumir minha não religiosidade, mas tenho medo de sofrer com as consequências. Logo mais, moro em uma cidade do interior, onde a religião domina 99,9% da população.

    ResponderExcluir