quarta-feira, 21 de outubro de 2009

O primeiro casamento civil da Finlândia

(na imagem: meu avô, Svante Dahlström)

Então, eu prometi contar uma história interessante sobre um amigo do meu avô. Como eu disse na postagem anterior, até 1921 não havia Registro Civil na Finlândia, a única opção era casar na igreja e batizar os filhos. Isso contava como registro oficial e continua até hoje, ou as pessoas casam na igreja ou no cartório. E os filhos são ou batizados ou inscritos no Registro Civil.


A história se passa em 1914, antes de instituirem o tal Registro Civil. O amigo se chamava Rolf Lagerborg e eles pertenciam a uma organização de livres-pensadores, a Associação Estudantil Prometheus (http://www.dlc.fi/~etkirja/AtheismInFinland.htm), que foi fundada em 1905-1906 e lutava pelo direito à liberdade religiosa. Ele tinha uma noiva, mas não admitia se casar na igreja. Então os dois combinaram um esquema que gerou grande escândalo na época, mas funcionou.

A noiva o processou por ter "coabitado" com ela, sendo que depois se recusava a "levá-la para diante do pastor". Ele disse para o juiz que de fato ele se recusava a fazer isso, mas que se o juiz assim decidisse, e o "condenasse" a estar casado com ela, isso ele aceitaria. E foi isso mesmo que aconteceu.

5 comentários:

  1. Hahaha! Que divertido isso deve ter sido. Armar um julgamento para servir de casamento, que romântico!

    ResponderExcluir
  2. Puxa! Que gente esperta do caramba xD! Genial esse casal que teu avô conheceu 8D!!

    ResponderExcluir
  3. Só dando um empurrãozinho para a coisa mudar direito, rsrssr
    Bela idéia!
    bjs

    ResponderExcluir