sábado, 24 de outubro de 2009

Minha mãe, a rebelde-mor


Minha mãe me ensinou que não precisamos aceitar as convenções, devemos sempre perguntar porquê. Se não há uma boa razão para mantê-las podemos muito bem descartá-las. Eu me lembro que desde sempre ela ensinou aos filhos que os homossexuais, por exemplo deviam ser aceitos como são. E lembro dela dizer a uma pessoa que não havia nada de errado em um casal de namorados dormir juntos, isso não era "pecado". Só era errado fazer mal a outras pessoas.

Quando ela lia histórias para a gente dormir era fascinante, porque ela fazia teatro amador, então ela fazia vozes diferentes para diferentes personagens e encenava a história de tal maneira que parecia que a gente estava vendo tudo acontecer.
Até hoje quando eu leio eu mergulho no livro de tal forma que eu sou capaz de ficar em dúvida depois se li o livro ou vi o filme.

Uma coisa é certa, em 99% das vezes o livro é infinitamente melhor que o filme.

3 comentários:

  1. Muito interessante essa mãe! Devia ter outras iguais!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Lamentavelmente deve estar agonizando no inferno neste momento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa mais 'linda' de se falar sobre a mãe de alguém.

      Excluir